segunda-feira, 18 de maio de 2009

O verdadeiro pastor verdadeiro

O que é ser pastor?

A pergunta é simples, mas é pertinente. Não pretendo aqui (como em nenhum post deste humilde blog) escrever um tratado ou fazer um estudo aprofundado sobre o assunto. Pretendo tecer alguns comentários para fomentar a reflexão dos irmãos.

Antes de ir para a efetiva resposta, acho válido fazer algumas pinceladas no que acontece nos dias atuas acerca desse tema. Infelizmente, o que se tem visto não é nada animador.

No tocante aos requisitos para ser pastor, o que vemos hoje é vergonhoso, pois a Palavra de Deus está sendo jogada na lata do lixo. Há igrejas que coloca como requisitos básicos para atingir o cargo de pastor a quantidade mínima de pessoas levadas à igreja pelo candidato. Outras exigem um mero curso de teologia. Isso quando há requisitos. Não sou contra exigir conhecimento teórico da bíblia, muito pelo contrário, sou a favor uma vez que isso é bíblico (veremos isso adiante). Também não sou contra considerar o número de pessoas que se converteram em decorrência da evangelização do candidato. Para tratar desse assunto, a Bíblia nos traz em 1ª carta a Timóteo, cap. 3, os requisitos básicos para ser um pastor:

"ESTA é uma palavra fiel: se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja. Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; Não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento; Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia (Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?); Não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo Convém também que tenha bom testemunho dos que estão de fora, para que não caia em afronta, e no laço do diabo."

Como podemos ver e perceber muitas igrejas tem deixado a desejar em observar os princípios bíblicos, vide o grande número de igrejas em aceitar autoridades femininas. Como pode uma pessoa que, na vigência do seu pastorado, foi acusado e condenado por um crime de sonegação continuar com o ofício pastoral? Como pode uma pessoa prosseguir na condição de pastor sendo que é divorciado, ou que não tem autoridade nem dentro da sua própria casa? Como pode alguém com pouco tempo de vida cristão assumir o comando de uma congregação? Será que tudo isso não estaria indo contra o que está escrito na bíblia (transcrito acima)? Poderia eu aqui ficar falando mais sobre isso, mas como disse anteriormente, a minha intenção é tão somente incentivar uma reflexão mais profunda.

Depois de fazer uma análise perfunctória dos requisitos vamos para a segunda e derradeira parte: a função de um pastor.

Percebe-se na atualidade, que as pessoas almejam muito esse cargo. Mas será que realmente essas pessoas têm noção das reais funções de um pastor. Posso apostar que se todos soubessem o verdadeiro ofício do pastor 90% desistiriam dessa idéia. Porque eu falo isso? Por que a visão que se tem da função de um pastor está distorcida, e muito por culpa de muitos pastores que tem se desviado de suas funções. Quando abordei a questão dos requisitos, quis chamar a atenção de que se fossem cumpridas todas “cláusulas” bíblicas teríamos verdadeiros pastores verdadeiros em maior número, e logo, obteríamos um rebanho melhor alimentado pela Palavra de Deus.

Pensei em citar algumas atitudes equivocadas de pastores, mas optei por ir direto às funções do mesmo, pois desta forma posso conseguir, com mais propriedade, uma reflexão mais profunda dos irmãos.

O verdadeiro pastor é aquele que no comando de 100 ovelhas, se apenas uma se perder ele vai atrás (mt 18:12-14). O verdadeiro pastor é aquele que orienta, conforme a Palavra, e não aquele que comanda com regras (geralmente esdrúxulas) como se a ovelha fosse sua propriedade. O verdadeiro pastor é aquele que não se contenta em levar a Palavra só nos dias de culto no seu púlpito, mas também ir às ruas, ir onde estão os perdidos e pregar a Palavra da Salvação. O verdadeiro pastor é aquele que trata cada membro da sua congregação como se fosse o único, isto é, o pastor se preocupa individualmente com cada membro, como se fosse seu filho. O verdadeiro pastor não espera nenhuma recompensa de suas ovelhas, mas cumpre com o seu chamado somente pelo amor ao evangelho.

Agora o mais importante de tudo é que o pastor não é aquele que é servido, mas sim aquele que serve. E como exemplo supremo, temos Jesus Cristo, o próprio Deus se fez homem e nos serviu. Portanto, o pastor, como líder, dever ser o exemplo e se portar como um servidor (mt 20:26), e ser o mais humilde de todos. Para que se atinja tudo isso é preciso apenas de uma coisa: AMOR. O pastor precisa amar! Amar a Deus, Amar o próximo e seus inimigos, Amar o evangelho, etc.

Portanto, resta claro que devemos ter muita cautela quando se tratar de pastorado, pois a coisa não é tão simples como se imagina. Para exercer esse ministério com correção, é necessário que realmente a pessoa tem sido chamada para isso, pois caso contrário desista porque estará fadada ao insucesso.

To terminando esse texto com gosto de quero mais, pois é um assunto que rende e muito. Se fosse falar tudo relacionado a esse assunto esse post ficaria, pelo menos, dez vezes maior. Mas, novamente, falando de novo, afirmo que minha intenção aqui é apenas gerar uma reflexão e acho que o exposto é suficiente para isso.

Que a paz de Cristo vos acompanhe!!

4 comentários:

marcelo disse...

Meu nome é marcelo, a sua resposta , é facil de aceitar pois esta alicersada, na palavra de DEUS,são as unicas respostas que podemos aceitar , estar de acordo com a palavra de DEUS,.Tenho visto algumas pessoas sendo levantadas , para assumirem posições nas Igrejas ,não so como pastor , mas tambem como outras posiçoes de trabalhadores , obreiro, diacono , bispos etc,sem que seja feita a observação da palavra de DEUS,com isso acontecem coisas estranhas, escandalos. Quando DEUS escolhe para fazer a a OBRA ele não erra, quando o homem escolhe ja viu o que acontece.Lembra de SAUL?Escolhido pelo povo, não por DEUS.AMEM

AMIGO DE DEUS disse...

É uma satisfação tê-lo aqui marcelo..
Pois é, essa é uma das questões que mais me preocupa atualmente.

Lucas narrou no livro Atos dos Apóstolo em seu primeiro capítulo, como se deu a escolha do 12º. Talvez seja o melhor exemplo que existe na bíblia na questão da ordenação. Quiçá todas as igrejas procedessem da mesma maneira. Na igreja q eu congregava subia de cargo quem levava mais gente. Isso é lamentável pois não tem nenhum respaldo bíblico.

Mas é isso ai irmão, temos que prosseguir na defesa do evangelho, mesmo que isso custe as nossas vidas.

Abraço

Anônimo disse...

Glória a Deus eu escrevo isso com lagrimas nos olhos por saber que ainda existem irmãos que não dobraram seus joelhos diante de muitas mentiras e falta de responsabilidade com a palavra de Deus. aleluia irmão sou um humilde servo de Deus e sei que tenho esse chamado Pastor eu choro quando falo há muito tempo Deus fala comigo e eu não queria aceitar e sempre disse o verdadeiro Pastor não se preucupa com Igrejas lotadas mais em cuidr de cada uma tornando dicipulos de Cristo aleluia e uma que falta o verdadeiro Pastor sente sua falta e vai a proucura orem pela minha vida sou um pregador intinerante pregos em Igrejas congressos e nas ruas trabalho hospitais e onde eu mim sinto melhor em onde a muita gente precisando de conforto espiritual como hospitais azilos etc. louvo a Deus por esse Bloog.

Anônimo disse...

muito bem colocada as suas palavras sou ex pastor de uma grande igreja pude sentir isso tudo que vc colocou na pelo o ministeria que selecionava pessoas sem o minimo de carater pra assumir o ministerio se ele conseguisse o alvo tava eleito e impossivel pra quem nasceu de novo permanecer nesse meio vendo toda essa podridão graças DEUS que ainda conserva jente como nos que não perdeu essa visão da palavra e do reino de DEUS que ele posso nos dar sempre essa visão clara e verdadeira um abraço email j-rms-silva@hotmail.com